Roda Sagrada de Rapé

O Rapé é uma medicina indígena das tribos da região amazônica, composto geralmente de cinzas de ervas queimadas e pó de tabaco. Muito se fala a respeito de seu uso e propriedades físicas e energéticas. Cada rapé tem propriedades específicas de atuação, respeitando a vibração dos elementos utilizados em seu feitio. Para entender as aplicações específicas de cada tipo de rapé é necessário saber a sua composição, e então estudar sobre as propriedades das ervas que o compõem. Seu uso é tradicionalmente cerimonial, carregando as intenções de quem o aplica.

Cerimônia

O uso de qualquer planta de poder deve ser feito de maneira cautelosa, e em caso de primeiras experiências ou dificuldade em lidar com os efeitos da medicina, é aconselhável a presença de outras pessoas. Alteradores de consciência provocam estados de percepção que podem às vezes se mostrar confusos, o que pode gerar desde consequências desagradáveis momentâneas, até problemas mais complexos, dependendo da ritualística envolvida naquela ocasião, portanto, a experimentação deve ser aliada ao estudo e responsabilidade.
Sua aplicação é realizada através de dois tipos de instrumentos, o tepi, para a aplicação em terceiros, e o kuripe, para a autoaplicação. Estes instrumentos geralmente são feitos de bambu, e por meio deles a medicina é soprada. O rapé indígena, ao contrário dos rapés de latinha que se encontra comumente nos mercados, jamais é inalado, é sempre soprado. Quando a medicina é soprada, o pó adentra as narinas sem alojar-se no pulmão, sugando para fora as impurezas encontradas, que serão retiradas do organismo através do escarro. Depois do sopro, é ainda recomendado que a respiração seja feita pela boca por algum tempo.

Intenções e Usos

Desde o seu preparo até a sua aplicação, esse composto é carregado de intenções, e é exatamente a intenção a grande chave de seu poder. Através do sopro a medicina carrega tudo aquilo com que ela foi imantada para dentro de quem a recebe, promovendo a cura de diversas mazelas e a alteração do campo vibracional e corpos sutis. O tabaco é uma planta associada ao elemento fogo e uma de suas propriedades é a limpeza energética e física, ao contrário do que os povos brancos, com seu uso deturpado, trouxeram para ela. Também por isso, não é aconselhada a sua inalação.

Por ser um alterador de consciência, essa medicina é uma excelente ferramenta para atingir estados meditativos e de gnose para práticas mágicas, enquadrando-se no conceito de quimiognose. Clareia o fluxo de percepção, limpa e harmoniza o estado mental selecionando, através da intenção contida no sopro, e favorece a vibração adequada do funcionamento da psiquê para a obtenção dos resultados desejados dentro da sua ritualística.

Imagem: ritual de rapé — Vida com Natureza.

Cuidados

Não é aconselhada a utilização desse método para aqueles que não possuem familiaridade com a medicina. Seu uso gera respostas físicas muitas vezes desconfortáveis, como alterações na pressão sanguínea, espirros, vômito ou diarreia, e por isso deve ser feito de forma consciente e responsável. Em caso de pouca prática com a substância aconselha-se a presença de alguém que possa auxiliar em caso de dificuldade. Em caso de problemas de pressão, epilepsia, problemas cardíacos ou outros distúrbios, não se aconselha esse tipo de prática.

Texto: F. L. Surati, site: https://medium.com.

Referências: MENDES DOS SANTOS e SOARES (2015) — Rapé e Xamanismo entre grupos indígenas no Médio Purus, Amazônia.

O que é Rapé?

Ao aplicar rapé em terceiros, usa-se um instrumento de bambu chamado tipí. fonte: Casa de Rezo Abuelos.

O rapé é uma tradição cultural e espiritual dos povos Katukina, Yawanawá e de outras tribos da região. Ele é usado ao acordar para tirar a “panema” (preguiça) e como consagração depois do trabalho, para desabafar, relaxar, esfriar a memória, pois tira o enfado físico mental e espiritual, quando nasce um novo pensamento, uma idéia nova. O rapé é preparado com muito carinho, usando-se tabaco e cinzas de outras árvores, dentre elas o Tsunu, dentre outras árvores ou ervas, como Jurema, Canela de Velho também conhecido como Caneleiro, inclusive ervas aromáticas como hortelã.

Dentro da tradição indígena , não se “aspira” o rapé. Ele é sempre “soprado” por outra pessoa ou por quem vai tomar o rapé. Soprado para dentro das narinas através de um instrumento tipo um bambu oco, o Tipí, e aplicado por um pajé ou por outra pessoa e provoca uma forte reação nos mais inexperientes. Seu efeito é rápido e após isso sente-se um grande bem estar e disposição, fora a limpeza das vias aéreas, que ele proporciona. Relatam que o rapé se usa para esfriar o corpo, pois quando se trabalha muito debaixo do sol, ao ir tomar banho de água fria das cacimbas, pode-se pegar um resfriado, e é bom cheirar rapé antes. Além de estimulante, portanto, o rapé também faz baixar a pressão. O rapé também é em consagrações antecedendo, por exemplo, a cerimônia do Uni (ayahuasca). As duas energias se unem e o Uni vem com mais luz, mais perfeito, mais profundo.

A pessoa que aplica deve saber o que faz, pois tanto o modo como ele pega o pó da mão com o tipi, a maneira que assopra, e o que pensa quando assopra, influenciam positivamente, ou negativamente o trabalho. Ou seja, o mesmo rapé aplicado por duas pessoas diferentes certamente não será o mesmo rapé e, assim, o efeito também não será o mesmo. Também pode ser aplicado pela própria pessoa com um auto aplicador, um tipi bem curto, denominado Kuripe. Ele é bem curto, e cabe no espaço entre a boca e o nariz, e é pessoal, como escova de dentes.

Por:  Rafael Guimarães e revisado e reeditado por Júlio Zorzetto.

Roda Sagrada de Rapé

Roda Sagrada de Tabaco, realizada no Espaço Cura Campinas-SP.

Júlio Zorzetto, também promove eventos, dentre eles, vivências xamânicas; uma das abordagens é a roda sagrada de rapé onde a pessoa que tem interesse em receber o rapé, tem a oportunidade de ter contato com essa medicina da floresta, uma vez que ela tem aspectos de curas físicas e limpeza energética.

Quer saber mais sobre a Roda Sagrada de Rapé, acesse este link: http://www.juliozorzetto.com.br/uncategorized/roda-sagrada-de-rape/.
Deseja participar de uma vivência xamânica, entre em contato pelo Whatsapp (19) 981100619.

Vivência Xamânica: ancestralidade, resgate e meditação ao som do tambor

imagem da internet

Claro que o Xamanismo engloba muitos outros elementos além desses do título, e a Vivência Xamânica não é diferente. No último dia 15 de junho, oferecemos essa especial experiência no espaço Júlio Zorzetto Pilates e Terapias (JZPT). O foco da Vivência estava na cura do ser, e através de um resgate, proporcionou o sentir das dores, o acolhimento e o perdão.

O processo de cura contou com o apoio dos elementais da natureza – Água, Terra, Ar e Fogo, reconexão com Gaya – nossa Mãe Terra, Pai Céu, Avô Sol e Avó Lua, além do som terapêutico do tambor. Na primeira parte, foi apresentada uma breve introdução com as quatro direções (Norte, Sul, Leste e Oeste), e posteriormente uma explicação sobre cada elemento da natureza.

As meditações guiadas trouxeram um contato profundo com o eu verdadeiro, evidenciando a visualização do que precisava ser curado, acolhendo, perdoando e promovendo a auto cura. O xamanismo é uma filosofia de vida que possibilita a percepção de que somos parte de tudo e de uma mesma família universal.

Os toques do tambor, ora mais intensos ora mais leves, com seu som curativo, encaminhou os presentes para as grandes reflexões. O som se assemelha às batidas do coração, estimula relaxamento, resgate e conexão com a ancestralidade e interiorização. Os efeitos positivos do tambor são comprovados cientificamente: diminui o estresse, a ansiedade, alivia as dores físicas e emocionais. Confira mais no post do blog Importância do Tambor na Vivência Xamânica. “A viagem xamânica é para que as pessoas encontrem algumas respostas, de alguma forma trabalha o inconsciente. Procuro sugerir uma busca, um encontro e um renascimento”, explica Júlio Zorzetto, condutor de toda vivência. Na ocasião, também foi feito defumação com ervas para energizar e limpar o ambiente. Todos os eventos do espaço JZPT podem ser conferidos pela página do Facebook.

Importância do Tambor na Vivência Xamânica


Nossos ancestrais o utilizavam em várias situações, fosse em guerras, paz, cura ou elevação espiritual, a vibração dos toques de um tambor eram, e são, capazes de tirar os indivíduos de um estado ordinário de consciência para outras vibrações, conforme seu propósito.
No decorrer de nossa caminhada nesse planeta, a expressão através do uso do tambor sempre teve espaço, mesmo que, muitos de nós tenhamos esquecido. O que foi esquecido é que com o toque do tambor, podemos nos reequilibrar energeticamente, alterar padrões de frequência de beta para alfa e theta, frequências mais harmoniosas, onde ficamos mais sensíveis ao de criar e curar.
Ele traz a chave para conexão interior, nossa intuição e verdadeira essência, trazendo centramento, conexão com a mãe terra e nos trás para o presente (aqui e agora).

Benefícios comprovados cientificamente:

  • Diminuição da Pressão Arterial,
  • Dimunui o estresse ansiedade;
  • Dimunui a ansiedade;
  • Dimunui o cortisol;
  • Aumenta a serotonina;
  • Aumento de imunidade;
  • Aumento das funções cognitivas cerebrais;
  • Alivio de dores
  • Proporciona experiências recreacionais;
  • Proporciona experiências transcendentais;
  • Auxilia em estados emocionais e desordem sócio-aftivas;
  • Conecta pacientes com Alzheiumer, que não reconhecem mais os familiares, á memórias anteriores as quais possam compartilhar através de sons e canções.

De acordo com os nativos, temos a seguinte lição:Para nós, o tambor representa as batidas do coração universal, a Grande Mãe de todos nós. Quando vivíamos em tribo, não precisávamos de psiquiatras, pois cada família tinha seu tambor


Como posso experienciar um viagem xamânica?

Quer participar de uma vivência xamânica, não perca o #DiaZen, convido você para um dia especial, onde você poderá passar o dia em uma chácara paradisíaca e vivenciar vários eventos, palestras e ainda escolher terapias para cuidar de si. Lá estarei presente conduzindo auto-cura através de Viagem Xamânica com Defumação.

Faça parte do evento no facebook: https://goo.gl/yTRCvK
Faça sua inscrição agora mesmo: https://goo.gl/oyvQqm