Júlio Zorzetto fala sobre atuação como fisioterapeuta

Em celebração e agradecimento ao mês do profissional

O Dia do Fisioterapeuta é comemorado anualmente em 13 de outubro, e aproveitando a data, Júlio Zoretto conta sobre a profissão e suas atribuições. De acordo com ele, 90% dos pacientes são oriundos de indicação médica, além dos casos de fraturas, entorses, lesões musculares – como distensão, pós-trauma, fortalecimento e alongamento musculares, acometimentos neurológicos, entre outros. Em contraponto, há pessoas que buscam o profissional para promoção do bem-estar físico, e no espaço JZPT, agregam ao emocional/mental, minimizando estresse do dia a dia.

Foto: Thaís Ferrari

O mercado de trabalho se atualiza constantemente, fazendo com que a maioria das profissões tenham que se adequar ao momento e às demandas, o que não é diferente para os fisioterapeutas. Júlio afirma que por conta da tecnologia e alto custo dos recursos necessários para o atendimento, principalmente em área pública e hospitalar, é necessário criatividade para se adaptar com o que há disponível. Também destaca que a internet é grande facilitadora, com os portais de informações e redes sociais voltadas à área, promovendo os incrementos na carreira.

“O profissional da saúde precisa sempre estar atualizado. O maior desafio mesmo são os clientes. Como nenhum corpo é uma receita de bolo, muitas vezes precisamos fazer adaptações daquilo que a gente já sabe, desde protocolos até mesmo técnicas e exercícios, para as necessidades de cada paciente”, explica.

No espaço JZPT, são oferecidas diversas opções de relaxamento: exercícios, técnicas e terapias, como já foi abordado aqui no blog. O Pilates e a R.P.G. são mais relacionados ao trabalho da fisioterapia, contudo, Júlio reforça que mantém sempre um olhar cuidadoso para a anatomia e a biomecânica nas outras técnicas, como na Quiropraxia e nas Massagens Relaxantes Terapêuticas. Até no Reiki, a cura pelas mãos, o profissional agrega a fisioterapia nas avaliações e leituras.

“Na minha atuação como professor de Pilates procuro conversar com o aluno sobre seus hábitos posturais, alimentares e como ele se cuida com outras atividades físicas, que proporcionam melhora na qualidade de vida. Além da importância de estar em equilíbrio mental: relaxamento, quietude e paz interior, hábitos que diminui o nível se estresse e consequentemente o nível de inflamação e pH (acidez do corpo). Isso diminui a possibilidade de muitas doenças (como por exemplo, o câncer)”, completa.

No espaço JZPT, a idade média é de 50 anos. Quanto à fisioterapia, de 35 a 70 anos.  Porém, Júlio confirma que a faixa etária está diminuindo, atendendo casos de 25 a 35 anos. “Mas o dado mais importante é constatar que a maior procura pelo Pilates ou qualquer outra técnica de recurso terapêutico manual é por dores ou problemas de coluna, como hérnia de disco”.

Evidentemente, o fisioterapeuta executa a reabilitação e prevenção na saúde dos indivíduos, faz com que as pessoas se recuperem total ou parcialmente (dependendo do acidente e prognóstico). “E está ali ao seu lado, dando força moral e meios para que isso aconteça”, finaliza.

Deixe um comentário